• 06
  • 07
  • 08
  • 01
  • 02

Qual a diferença entre cristais swarovski, strass e zircônias?

STRASS:

São contas de vidro que tem na sua base pó ou película de metal semelhante ao espelho, inclusive o seu processo de fabricação é o mesmo, e é isso que lhe confere brilho. Em 1775 o Joalheiro Georg Friedrich Strass criou as pedras de que conhecemos hoje, quando resolveu imitar o brilho dos diamantes revestindo a parte inferior de contas de vidro com um pó metálico. A criação levou o nome de seu criador e até hoje é muito utilizado em bijuterias, roupas, sapatos, etc. O strass tem um custo inferior, pois seu brilho não dura por muito tempo, com o passar dos anos a tendência é ficar embaçado ou soltar da base onde foi colado.

SWAROVSKI:

Swarovski é o nome dado aos cristais mais conhecidos no mundo da moda por sua delicadeza, precisão e aparência luminescente. Tais cristais são produzidos pela companhia Swarovski AG, a detentora da marca e está situada na Áustria. Esses cristas foram criados quando Daniel Swarovski inventou uma máquina de corte automática em 1892. Não se compra Swarovski originais em qualquer lugar, vende-se strass como se fosse Swarovski, somente em lojas autorizadas pela marca.

O brilho desses cristais é inconfundível e são fabricados em vários formatos e cores, feito em cristal de vidro, o que o torna completamente superior.

Os cristais utilizados hoje em dia, são na verdade vidros altamente puros, lapidados e tratados, e não cristais naturais. As mais conceituadas e famosas marcas que vendem cristais são: Swarovski (austríaco) e Jablonex (tcheco). Vale ressaltar outras marcas de excelente qualidade encontradas no mercado como: Preciosa, Boêmia e Oktant (tcheco).

ZIRCÔNIA:

A “baddelyíta” é um mineral raro encontrado na natureza que é o resultado da cristalização do óxido de zircônio. Por isso é considerada Zircônia natural. Já a Zircônia cúbica, é desenvolvida em laboratório, ficando a mais perfeita imitação do diamante e sendo muito utilizada para embelezar muitas semi-jóias e jóias e não perde nunca o seu brilho com o tempo. Por isso é considerada artificial.

É por existirem essas duas estruturas cristalinas para uma mesma substância, que a ABNT recomenda que se use sempre a denominação Zircônica cúbica, e não apenas Zircônia, quando se referir a aquelas feitas em laboratório.